terça-feira, 26 de junho de 2012

ALGUNS CONCEITOS MIRABOLANTES PARA UMA METAFÍSICA.


Os conceitos que nos permeiam a todo tempo cuja atenção nem sempre é direcionada, traz reflexões a contento que poderiam nos levar a uma metafísica. Longe de encararmos uma nova metafísica (o que poderia ser interessante!) não obstante, galgar conceitos que possam fazer flexão em torno desta reflexão se faz de bom tom.
Um conceito que intriga: substância, parece correto aludir que tudo que é, existe e que está dentro dos limites do que concordarmos ser real é substância, por conseguinte podemos arriscar que essência é o que a substancia faz existir, seja ela qual for, o que acarreta subsistências da própria substância que é algo, a isso denominamos hilemorfismo, uma matéria que é tem forma que são essências, como 'co-elementos' oriundas da substância. Isto é, a essência procede da substância sendo ela abstraída da matéria, muito embora seja uma com ela.
A esta substância que é podemos conferir o estado de ser necessário, pois dela advém todas as outras manifestações de existência, portanto ela dá existência ao que existe, deste modo, ela limita as coisas para que elas possam existir, e daqui podemos concluir que ela dá a finitude que as coisas tem, não nelas mesmas, pois a matéria e a forma podem não existir, mas a substância que a faz sempre existirá, onde e como ainda não é nosso foco, mas se caso não for assim qual é a força que faz as coisas existirem? A casualidade??? Pois bem, há um famoso doutor o qual citamos: Anthony Flew que por meio da probabilística matemática nos demonstra uma ordem objetiva das coisas que existem, ele demonstra pelos estudos semióticos das palavras e da própria matemática que tudo há um intuito de estar existindo posto que existe para alguma coisa (finalidade). Não ignoramos a ordem convencionada, seria como 'niilizar' o alfabeto, ou os próprios números (tão exatos em sua inexatidão), mas concordamos que em tudo que existe só pode existir porque existe, e se existe algo lhe dá esta existência, esta é a substância que permeia toda a existência que existe. Por isso o ser necessário é a 'substâncias' das coisas que não deixa de existir nunca e confere a existências das coisas, sendo assim o ser contingente que é a limitação da ilimitação que se faz limitada por necessidade de existir por si mesma, por meio de sua realidade ilimitadora, pois deste modo assume a totalidade do que é ilimitado assumindo a limitação.
Assim como o Tudo que para ser Tudo necessita dentro de si ter o Nada... Ora se é Tudo tem que ter inclusive o Nada, pois sem ela não seria Tudo, estaria incompleto e não seria Tudo. Do mesmo modo o necessário que para ser precisa ter a contingencia de sua necessidade. Ser necessário e contingente se entrelaçam na perspectiva da existência das coisas.

 Já em termos do conceito pessoa (o qual é e existe) que também adentra nessa perspectiva metafísica, deixaremos para uma outra reflexão. O importante é termos entendido que essas abstrações são concretas dentro de uma âmbito abstrato que nada mais é que supervalorizar uma posição em relação a outra posição. Eu, em detrimento de uma parte, escolho a outra para. Abstraio a realidade - que geralmente é material - para chegar a essência, que são subsistências, à substância e quem sabe por fim a ação mais pura e mais abstrata do que possamo imaginar... Tudo isso aprendi com Santo Thomás de Aquino que sempre indica Aristóteles como base de suas reflexões.

No entanto, sempre desconfie das palavras, elas são pessoas vivas, andam por nossas cabeças afim de que possamo usá-las, mas no fim de tudo são elas que nos usam... Talvez não haja verdade em tudo o que foi escrito, mas seguramente essas palavras já estavam caminhando em sua mente mesmo antes de escrevê-las aqui, pois apesar de não terem nomes, eram conceitos e mesmo que sejam mirabolantes faziam parte de uma realidade que não era material, era necessária que se torna contingente quando limitamos ela aqui, podia ser Nada antes de lermos, mas já era Tudo o que se tinha antes mesmo da existência existir, afinal de contas a existência só existe, por isso é necessária, por isso é perfeita e ilimitada, como o Tudo, como as palavras que são pessoas que precisam de nomes.

       everton.

Nenhum comentário:

Postar um comentário